Bancada do MDB na ALE estará reduzida a partir de 2023

Bancada do MDB na ALE estará reduzida a partir de 2023

Por Berg Morais

Dono da maior bancada na Assembleia Legislativa Estadual (ALE) com seis deputados, o MDB deverá ter uma redução no número de integrantes na Casa de Tavares Bastos a partir de 2023.

Isso deverá ocorrer por conta da articulação política feita pelo presidente da Casa, Marcelo Victor (Solidariedade), que tem se empenhado em levar para o União Brasil (UB) – fusão do PSL e DEM – o maior número de parlamentares.

Quem não for para o UB, irá procurar outra legenda que tenha mais viabilidade para conquistar a reeleição. O deputado estadual Ronaldo Medeiros (MDB), por exemplo, já está de malas pronta para o seu antigo partido, o PT.

Já Galba Novaes, Jó Pereira, Ricardo Nezinho e Paulo Dantas estudam a proposta “tentadora” de Marcelo Victor. O último integrante da bancada do MDB, Olavo Calheiros, encerrou sua carreira política. O substituto de sua cadeira na ALE será Remi Calheiros, ex-prefeito de Murici e que, certamente, permanecerá nos quadros da legenda por conta da ligação familiar com o governador Renan Filho.

Um deputado estadual, que preferiu ter o nome preservado, revelou que “o esvaziamento do MDB é inevitável”. Resta saber se a articulação protagonizada por Marcelo Victor é apenas um meio de sobrevivência política ou uma “traição” ao grupo político da família Calheiros.

O presidente da ALE tem fortes ligações com o presidente da Câmara Federal e adversário dos Calheiros, Arthur Lira (Progressistas).

Berg Morais

Berg Morais

Berg Morais - Jornalista, MTE - 1769/AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *