Novo presidente da Câmara de Palmeira fará gestão de redes sociais e tenta criar “prefeitura independente”



Vereador Agenor Leôncio intensificou postagens nas redes, tenta aparecer mais que o prefeito, e pode provocar racha político no município.

Por Berg Morais

Mal assumiu a presidência da Mesa Diretora da Câmara Municipal de Palmeira dos Índios e o vereador Agenor Leôncio (PSB) já indicou como será sua gestão: de redes sociais. Antes de assumir o maior cargo do Legislativo palmeirense, o parlamentar não era adepto ao mundo virtual, mas agora, usa o cargo para promoção pessoal. 

É bem verdade que as redes sociais são o novo instrumento usado pelos políticos para mostrarem suas atividades cotidianas. Mas o presidente da Câmara de Palmeira não começou bem no uso das ferramentas disponíveis pela internet. 

Qualquer pessoa que tenha algum cargo nas esferas federal, estadual e até mesmo municipal, Agenor “corre pro abraço” e pede pra tirar uma foto. Até aí, tudo bem! A questão é que ele usa termos inadequados em suas postagens como: “meu amigo”, “meu grande amigo”, sem nem mesmo conhecer a pessoa. E isso tem se transformado em motivo de piada nas rodas de conversa não só em Palmeira dos Índios, mas na capital também. 

Talvez a culpa não seja do presidente Agenor, que deve está sendo influenciado pela sua assessoria a cometer esses erros risíveis. Vale destacar que, para um político, um erro nas redes sociais pode se transformar num desgaste irreparável, com direito a memes e tudo. Quem não lembra dos memes da campanha municipal onde o ex-prefeito James Ribeiro tentou agredir com um soco no rosto Agenor?

Outro fator que é perceptível ao acompanhar o Instagram do novo presidente, é que em todos as reuniões com seus “novos amigos” ele tem prometido novidades “em breve” para o município. Mas a fama de Agenor não é muito positiva quando se trata de promessas. Há pouco tempo ele recebeu um apelido porque prometia água para as comunidades rurais do município, mas conseguia apenas a encanação. 

O pior de tudo é que ele está querendo se sobrepor ao Poder Executivo, ou seja, colocando “o carro na frente dos bois”, querendo ser tipo um segundo prefeito. As ações do presidente do Legislativo mostram claramente seu interesse em fazer uma nova e independente gestão, em busca de recursos para o município sem o consentimento do Prefeito. Além de uma afronta ao Prefeito Júlio Cézar, a atitude pode ser considerada como traição. Sem falar no número de opositores que o prefeito JC pode ganhar nesse imbróglio!

As apostas em Palmeira estão a todo vapor, onde um racha entre o prefeito Júlio e o presidente Agenor pode acontecer antes mesmo do São João. Mas há quem diga que Agenor é mesmo o segundo prefeito, pois a nomeação dos novos secretários passa por sua avaliação.