Júlio Cézar viaja e deixa cidade sem prefeito por não confiar em seu vice

Slider

Estratégia faria parte de um processo para “queimar” o nome do Dr Márcio.

Por Berg Morais

Sem prefeito. Esta é a atual situação do município de Palmeira dos Índios. Desde o dia 15 de janeiro, o chefe do Executivo viajou para gozar férias com a namorada. Júlio Cézar comunicou a “folga” à Câmara de Vereadores, mas não transmitiu o cargo ao seu vice-prefeito.

O assunto gerou muita discussão na cidade e virou até meme nas redes sociais. Há quem diga que esta é a primeira vez que Palmeira dos Índios fica sem prefeito e o caso pode ir parar na Justiça.

Os debates jurídicos começaram desde o primeiro dia da viagem. Uns entendem que para para “tratar de assuntos pessoais” o prefeito deveria pedir licença (sem remuneração) a Câmara e dar posse ao vice. Outros dizem que a transmissão de cargo não é necessária para ausência “apenas” de quinze dias, e que se não foi efetuada nenhuma operação financeira nesse período, a viagem é legal.

O problema é que – independente de ninguém saber o destino do prefeito -, o fato é que ele apenas comunicou e não pediu licença a Câmara Municipal.

Discussões jurídicas a parte, o questionamento maior é pelo fato de o prefeito não ter dado posse ao seu vice, médico Márcio Henrique.

Outro debate foi gerado em torno disso, pois a maior suspeita é de que “o prefeito não confia no Dr Márcio”. Há quem acredite que Júlio Cézar iniciou um processo para “queimar” Márcio Henrique ao nomeá-lo secretário municipal de Saúde, pois pretende não mantê-lo como vice-prefeito num possível chapa de reeleição.

O presidente da Câmara, Agenor Leôncio, seria o preferido para ocupar o cargo de Dr Márcio. O vereador tem estado mais presente no município e não sai da alça do prefeito. O parlamentar aparece em todos os eventos oficiais da prefeitura.

De fato, a saúde pública municipal está um

caos e o secretário não consegue tomar as rédeas da situação por falta de apoio do prefeito. A ideia é que, em breve, Júlio Cézar peça que Dr Márcio entregue o cargo de secretário, tendo como justificativa a “situação insustentável da saúde”.

A verdade é que, diante das discussões jurídicas em torno do caso e do abandono da cidade, o prefeito Júlio Cézar demonstra que a única preocupação que ele tem é em gozar bem as férias ao lado da namorada.