Após ser desprezado pelos Renans, Marx Beltrão desiste do sonho de ser Senador


Por Berg Morais

Quando este blog anunciou, no dia 24 de abril, que o deputado federal Marx Beltrão (PSD) não seria candidato ao Senado Federal, uma enxurrada de ligações e mensagens via WhatsApp negaram a informação e pediram direito de resposta. Tentaram desmentir a matéria intitulada “Sem palanque, Marx Beltrão não disputará o Senado”. Mas em respeito às fontes fidedignas e aos leitores, neguei o direito de resposta e mantive o que disse. O resultado: a desistência de Beltrão se concretizou. 

Constrangimento. Esta é a palavra que define o que Marx Beltrão vivenciou nos últimos meses. Desde os “recados” para que ele entregasse os cargos no Governo à ausência de convites para solenidades oficiais do Estado. A chegada – a convite – de Mauricio Quintela no grupo Calheirista foi o xeque-mate para Beltrão. Foi o mesmo que dizer: “aqui, você não é bem vindo”. 

Mas nada disso foi suficiente para que Marx Beltrão entendesse que ele não tem poder de decisão no trato com a política local, e tem que seguir o que é dito pelos Calheiros sem titubear. Por isso, tentará reeleição como deputado federal.

Mesmo sendo publicamente rejeitado, Marx insistiu até o último momento para tentar ser candidato ao Senado. Chegou a ir a eventos sem ser convidado, fez discursos pregando a “união”, se “imprensou”para aparecer nas fotos ao lado do governador e do Senador Renan, mas nada disso foi suficiente. 

Marx Beltrão poderia ter evitado todo esse constrangimento, se distanciando de todo esse desgaste diante da mídia e de seus eleitores, e assumindo sua intenção em continuar com um mandato político, independente de ser como senador ou deputado federal.

O representante da família Beltrão não deixa de ser candidato a Senador por falta de competência ou prestígio político. Longe disso! Marx deixa de disputar um cargo que almeja por conta do destaque que conquistou em sua atuação não só enquanto deputado federal, mas também como Ministro do Turismo. Foram bilhões de reais investidos em nosso Estado através dele. De fato, o seu sucesso político incomodou – e muito – aos poderosos de Alagoas. 

Marx Beltrão fica como exemplo de perseverança, e, principalmente, exemplo de luta para defender a independência política em nosso Estado, que é dominado por sobrenomes com histórico conhecido nacionalmente. 

Que o exemplo do nosso (de Alagoas) deputado federal sirva de exemplo para os políticos do nosso Estado. Para que eles continuem lutando por sua independência política e por seus ideais – desde que sejam de interesse prioritariamente da população. Que o mártir Marx Beltrão seja a inspiração para muitos políticos que defendem o povo e não interesses próprios. 

Por fim, deixo uma reflexão do conhecido filósofo Epicuro: “Consciência é aquilo que você é quando ninguém está olhando”. 

berg_morais@hotmail.com