Disputa eleitoral: James Ribeiro perde para Davi Maia seu principal general


Antônio Fonseca era um dos principais quadros do então PMDB em Palmeira dos Índios.

Por Berg Morais 

O ex-prefeito de Palmeira dos Índios James Ribeiro (PRTB) vem tendo dificuldades em consolidar seu grupo político. Desde que caiu do ninho tucano, tem perdido importantes aliados e não tem conseguido agregar novas lideranças nessa sua pré-campanha ao cargo de deputado estadual. O poder do isolamento fez com que ele perdesse um dos seus generais, Antônio Fonseca.

Ex-vereador por Palmeira dos Índios por quase duas décadas, Antônio Fonseca foi o principal general dos dois mandatos de James Ribeiro à frente da Prefeitura da Princesa do Sertão. Era ele quem apagava os incêndios quando os vereadores da época começavam a espernear. 

Presidente municipal do então PMDB, Fonseca era o cara que tinha ligações com a Igreja e agregava valores com o comércio local – lembrando que a época nem um comerciante queria vender a Prefeitura. Mas ele conseguia manter uma harmonia entre os segmentos da sociedade civil, desde que assumiu por oito anos a secretaria de Governo, e contornava os imbróglios. Sem falar do bom relacionamento com a imprensa que representantes sindicais.

Homem sério, Fonseca preferiu amenizar quando questionado pelo blog se foi traído pelo seu ex-líder político. “Não considero traição. Muitos acham até normal na política. Mas não guardo rancor. Tenho um respeito muito grande pelo James”, enfatizou. 

Antônio Fonseca revelou Davi Maia como seu pré-candidato a deputado estadual. “Além de termos laços familiares, é homem trabalhador que já mostrou seu potencial no serviço público e merece a oportunidade de nos representar na Assembleia Legislativa”, concluiu. 

Davi Maia é filho do prefeito de Quebrangulo, Marcelo Lima. Ele assumiu dois importantes cargos na Prefeitura de Maceió: superintendente da Slum e secretário de Meio Ambiente. 

James Ribeiro tem sentido a cada dia o poder do isolamento. Como diz o ditado: “Sem mandato, até o café é frio”. 

berg_morais@hotmail.com